Continuação da Apostila 2- A leitura de Marcos

Para compreender melhor os escritos, o autor recomenda que a leitura seja feita seguidamente, isto é, não fragmentá-la em trechos, para que possa ter uma visão de conjunto, como uma mensagem única. O Evangelho de Marcos anuncia a vivência da Boa Notícia de Jesus e essa leitura deve ser feita, para melhor entendimento, de uma só vez. Por outro lado, depois da leitura completa, pode-se dividi-lo em trechos, de acordo com os critérios de cada comunidade.

Como argumentado nas apostilas anteriores, sempre que reescrevemos algo, inserimos algumas de nossas particularidades no texto, assim como acrescentamos com nossas reelaborações filosóficas. O Evangelho de Marcos é um exemplo disso. Ele, quem os estudiosos acreditam ser João Marcos, companheiro de Paulo e Barnabé ou companheiro de Pedro em Roma - sabe-se pouco dessas informações- fez uma releitura do Antigo Testamento e, inclusive, adapta os escritos que falavam sobre 'preparar o caminho de Deus na Terra', atualizando como o 'Messias preparando o próprio caminho'. Como explica o autor "o Evangelho não hesita em usar para Jesus esse nome divino do Senhor".

Na primeira parte do Evangelho, ele abrange o tema de João Batista e a vivência da religião, que vem do deserto e vai se fortificando por meio de ritos populares, porém está a margem. A nova religião é sobre a vida de Jesus. É a Boa Nova. O autor explica que, nesta parte dos escritos existe uma imprecisão - o que faz chegar a conclusão de que "parece indicar que é uma história feita por uma comunidade pobre e dirigida a pobres".

A segunda parte do relato é sobre o Espírito que leva Jesus ao deserto. Após passar um tempo em território estrangeiro inicia-se uma missão de purificação. E a terceira conta sobre o enfrentamento para com o sistema religioso e político vigente. São as atividades de Jesus com relação aos estrangeiros, pecadores, pagãos, doentes, escravos e pessoas com ofícios considerados impuros. Mais tarde, com os lavradores, artesãos, mulheres e crianças. Os comerciantes e judeus também são informados da mensagem de Cristo e seus milagres, assim como os mais altos cargos na pirâmide social da Palestina, como sacerdotes, levitas, escribas, o Governador e até mesmo o Sumo Sacerdote. Quanto mais alto ía sua mensagem, maiores as resistências de conversão ou aceitação. Logo depois, a Paixão e a Ressureição.

Por fim, podemos perceber que o Evangelho de Marcos fala especificamente da vida de Jesus. Não aborda muito os conflitos do Império, mas sim o enfrentamento de Cristo com relação ao poder judaico. Isso se explica porque a comunidade que os escreveu estava sendo perseguida pelos judeus, logo, é mais marcante em seu Evangelho.

1 Comment:

  1. fa_clube said...
    pelo amor do nosso senhor Jesus Cristo me de uma luz aonde tem convento em nosso imenso brasil quero me tornar freira me mande respostas pliz gisinha_rockeira23@hotmail.com

Post a Comment